Quem sou eu

Minha foto
Graduado em Artes Cênicas, Teologia e Ciências Sociais. Mestre em Sociologia e Direito pela UFF e Doutor em Sociologia pelo IESP-UERJ. Pesquisador de Relações Raciais no Brasil, Sociologia da Religião e Teoria Sociológica. Professor de Sociologia e Metodologia Científica do IFES - Instituto Federal do Espírito Santo.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

"Edir Macedo e Valdemiro Santiago: o reino está dividido, o que é bom"

Edir Macedo e Valdemiro Santiago estão em pé de guerra. Os líderes da Igreja Universal do Reino de Deus e da Igreja Mundial do Poder de Deus, respectivamente, acabam de se declarar inimigos públicos um do outro. A razão, como não poderia deixar de ser, é a disputa pelo "mercado gospel" que se instalou com grande força no país desde o início dos anos 1980, com a chamada "terceira onda pentecostal". O curioso da história é que Valdemiro é cria do próprio bispo Macedo. Por razões que sempre estiveram presentes no meio neopentecostal, o reino, mais uma vez, se divide.

É importante lembrar que as divisões, que sempre fomentaram novos empreendimentos religiosos por essas terras, trouxeram também à tona igrejas como a Internacional da Graça de Deus, do missionário RR Soares, e a Igreja Evangélica Cristo Vive, do apóstolo Miguel Ângelo, para citar os exemplos mais famosos. Tudo começando, claro, com a Igreja de Nova Vida, do mentor de todos eles, o bispo canadense Robert McAlister, já no início dos anos 1960, no Rio de Janeiro, após rápida passagem por São Paulo.

Embora chamadas de igrejas evangélicas, misturando-se com denominações do protestantismo histórico, como é o caso das igrejas luterana, congregacional, presbiteriana, batista e metodista (alguns autores também citam a Assembleia de Deus aqui), o novo movimento evangélico brasileiro distancia-se muito dos principais fundamentos da Reforma liderada por Martinho Lutero, o que faz com que muitos pesquisadores e estudiosos das religiões não o considerem como ramificação do histórico movimento de separação da igreja católica medieval. No entanto, e para infelicidade de muitos, não é incomum ouvir-se de muitas pessoas as tradicionais frases de senso comum que acham que "é tudo coisa de evangélico". Mas na verdade não é. Ou, até é, se evangélico não significar um sinônimo para protestante, tese que defendemos sem qualquer titubeio.

A bem da verdade, ao movimento neopentecostal - ou pentecostalismo de terceira onda, como é chamado pelos especialistas no assunto - faltam os fundamentos mais basilares do movimento protestante. O tripé , graça e escrituras foi substituído por elementos que articulam, e de maneira muitíssimo inteligente, o caráter sincrético dos religiosos brasileiros e a força descomunal do sistema capitalista de mercado. Sim, o neopentecostalismo é uma junção de elementos das várias expressões religiosas que formam o caldo cultural místico brasileiro e uma lógica de mercado e lucro, fomentadora da tão falada Teologia da Prosperidade, tese em que o ser humano e Deus podem entrar numa sociedade, onde o fiel entra com dízimos e relacionamento com amuletos e Deus fica obrigado a cumprir sua parte no trato, entrando com o derramamento de bênçãos materiais e saúde perene sobre a vida do fiel ofertante.

Apesar de o senso comum os tratar como "farinha do mesmo saco", o protestantismo histórico decresce a cada novo dia, enquanto que os evangélicos neopentecostais crescem a todo vapor, fomentando a disputa acirrada que agora antagoniza Edir Macedo e Valdemiro Santiago, além de fazer com que o total de evangélicos/protestantes já ultrapasse a impressionante cifra de 20% da população do país.

Assistindo a um programa da Igreja Mundial, de Valdemiro, é possível vê-lo lançando a maldição do câncer de uma senhora - que Santiago diz ter curado em sua igreja - sobre um representante do ministério público, responsável por uma investigação que poderá tirar Valdemiro do ar nos próximos dias. Também pesa contra Valdemiro a acusação de Macedo de que ele alicia membros da Universal para que venham a trabalhar na Mundial.

Na mesma semana em que Valdemiro "lançou" um câncer sobre um funcionário público, os bispos da IURD fizeram um ritual de exorcismo - utilizando-se do corpo de uma mulher que saiu da IURD para a Mundial, mas que "voltou arrependida" - da legião de demônios que eles afirmam estar possuindo o corpo e atormentando a vida do ex-pastor iurdiano Valdemiro Santiago.

Não sabemos até onde vai essa história. No entanto, já podemos prever a qualidade dos próximos embates. Edir Macedo deverá chamar Valdemiro Santiago de pastor-corrupto-endemoninhado-charlatão e Valdemiro Santiago chamará Edir Macedo de bispo-corrupto-mentiroso-ladrão. Para tristeza de um país tão livre em termos religiosos como o nosso, e de um povo tão carente de boas referências no campo da espiritualidade, os dois estarão cobertos de razão.



liberdade, beleza e Graça...

6 comentários:

Janaina Marins disse...

É muito bom ler um texto tão rico e inteligente, que nos leva a refletir sobre a nossa sociedade, a nossa realidade.
Parabéns amigo!

Karina Arroyo disse...

É Cleintom, a liberdade religiosa nos permite observar neoideologias...sem atribuir juízos de valor, ou mesmo sem opinar, posso apenas perceber com satisfação que há olhares atentos sobre fatos novos, isso nos dá a impressão de lucidez. Bom texto. Salam!

Fabiana Graziola disse...

Existe muito espaço para crítica dos fatos relacionados aos neopentecostais. Enganação, exploração, etc, etc, etc. O que entristece é ver e saber que a grande maioria dos "fiés" destes grupos acreditam sinceramente que todo esse circo é o evangelho do Cristo. Nestes locais, esses "fiéis" encontram o acolhimento e o cuidado que muitas das igrejas históricas não oferecem. Alguns até têm a percepção do engano, mas preferem continuar sendo "enganados" e receber o que as outras denominações não tiveram competência de suprir: identidade, simplicidade e amor.

Liana disse...

Parabéns pelo texto, escrito com uma "enxuta" sensatez, coisa que, certamente, - pelo menos com a revolta e tristeza que me consomem em relação a estes e outros cristãos-ateus - eu não conseguiria.

julio cesar disse...

Cleintom, eu vou discordar do seu texto. Eu não acho boa essa briga entre o Waldomiro e o Macedo. Digo melhor essa briga que no programa domingo espetacular ficou evidente me deixou foi preocupado por um motivo.

o motivo é que durante anos vimos a universal ser acusada das mesmas denuncias que a record fez ao waldomiro. por ingenuidade ou nao, os crentes meio que ficava do lado da igreja. e ontem assistir uma matéria pior do que a folha ou a globo faria me deixou com a sensação de que a universal usará a record contra qualquer um de seus inimigos. hoje é o Waldomiro, que não tiro sua culpa de ser pilantra. mas quem será amanha. as igrejas tradicionais, silas malafaia, ou qualquer um cantor que não faz o sistema da record?

ai só nos próximos capítulos agente verá.

Cleinton Gael disse...

querido julio.
de fato, suas palavras são bem postas. no entanto, importa pouco quem será a próxima "vítima", pois este reino não é o Reino de Deus. é reino de homens e homens maus. a globo é que ri com isso, pois, de tanta influência que tem na forma(ta)ção da opinião pública, fez que a universal usasse os mesmo argumentos que foram usados pela globo contra ela. uma pena, pois, com o edir atirando na globo, ainda era possível ter alguma coisa boa neste debate. agora, o edir batendo no valdemiro é gato escaldado chutando cachorro "morto". digo morto porque essa briga não nos acrescenta nada, além de mostrar a canalhice dois dois, o que não muda nada para nosso país. se o edir continuasse a brigar com a globo seria melhor, pois, em meio às baixarias, teríamos algo que pudesse fazer algo de bom surgir, o que não é o caso quando os neopentecostais brigam pela divisão de seu "reino". obrigado pela crítica. há braços...