Quem sou eu

Minha foto
Graduado em Artes Cênicas, Teologia e Ciências Sociais. Mestre em Sociologia e Direito pela UFF e Doutor em Sociologia pelo IESP-UERJ. Pesquisador de Relações Raciais no Brasil, Sociologia da Religião e Teoria Sociológica. Professor de Sociologia e Filosofia do Instituto Federal do Espírito Santo - IFES.

terça-feira, 30 de junho de 2015

"Malafaia, não me defenda: vá procurar uma pomba!"

Nos últimos dias, fomos atropelados por uma bizarra discussão entre o jornalista do Grupo Bandeirantes, Ricardo Boechat e o pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, Silas Malafaia. Teve de tudo, como é sabido, chegando o jornalista a proferir uma frase que muitos gostariam de falar a Malafaia, já que este, ao ser confrontado, adora dizer que o sujeito que discorda dele é um asno, falastrão, falador de besteiras e que deveria topar um debate com ele, Silas, que deve ser um exímio debatedor, já que vive querendo provar a todos que está sempre com a razão, e nunca errado, sendo que me parece estar errado, mais uma vez.

Boechat denunciava o abuso de poder de alguns líderes evangélicos, o que é de conhecimento de quase todos, sobretudo daqueles que se dão ao simples trabalho de ler algum jornal ou acompanhar nas suas próprias igrejas a postura de líderes cada vez mais interessados em seu próprio umbigo, o que gera um distanciamento cada vez maior entre a demanda do povo cristão e o que segundo a Bíblia se espera de alguém que se autodeclara pastor de ovelhas.

A postura de Malafaia, agora, e como sempre, continua a ser a mesma: vai à justiça tentar retirar algum dinheiro de Boechat, o que não implicará em nada, já que o jornalista tem recursos para pagar, embora vá perder um bom tempo nisso tudo, uma vez que terá de enfrentar, além do tribunal, a cara de vitorioso de Silas, uma vez que o dito pastor, mais uma vez, tem tudo para ganhar, embora devesse perder, já que passou da hora de isso lhe acontecer.

Embora não represente o mundo evangélico como um todo, mas apenas um segmento dele, a imagem pública que Malafaia teimosamente oferece é a de que todo evangélico pensa e age como ele, o que seria uma pena, se fosse verdade, já que teríamos muito mais intolerantes no mundo, gerando mais e mais ódio, como o que tem fomentado a postura infeliz do líder assembleiano. Felizmente, não seguimos o Silas. Só que a opinião pública que é construída via grande mídia insiste em afirmar o contrário.

De mal a pior, Malafaia vai ajudando a construir uma imagem péssima dos evangélicos brasileiros, já que, de gente séria e que tem consigo uma ética que não lhes permitia o engano, a mentira, a intolerância e a corrupção, os evangélicos estão se tornando cópias de um homem que, pelo que demonstra, está muito distante do que Jesus pregou e viveu. Definitivamente, Silas Malafaia, com sua postura intolerante, grosseira e autoritária, não se assemelha em nada com a postura que Cristo ensinou e viveu.

Dá saudades de uma época em que o mundo evangélico era representado por gente boa de diálogo, gente conhecedora de política, gente boa de ouvido, gente de conversa sadia e sábia. Malafaia é bom de boca, mas é péssimo de ouvido. Sobretudo se o que tem a ouvir não é o que ele gosta e pretende sempre ouvir, isto é, a sua própria vontade. Assim, provocando uma separação que muito se assemelha à chamada "reforma radical", o dito pastor vai construindo um abismo entre os cristãos e o mundo que os cerca, provocando uma indisposição social que tem tudo para se tornar em uma ojeriza por evangélicos em pouquíssimo tempo. Há quem diga que isso até já existe. 

Se Malafaia soubesse pedir perdão e se reconhecesse que erra demais para um líder que se pensa quase inerrante, teríamos algo de bom a falar dele. Mas, como isso já parece ser algo utópico, só nos resta pedir que ele vá procurar uma pomba; a pomba da paz. Sim, melhor procurar outra ave, a pomba. Afinal, a rola o Boechat já o mandou procurar.

liberdade, beleza e Graça...


3 comentários:

Priscila disse...

Aguardo ansiosa. hahaha

Liana Santos disse...

Kkk... Final inesperado... Rs.
Malafaia é só tiro, porrada e bomba, nada de Cristo, tá mais pra destruição que pra salvação.
Sempre uma leitura boa a gente encontra aqui.

Tiele DJS disse...

O curioso é o espaço que á dado ao Malafaia pelas mídias, só para incrementar a alienação do povo, pois mesmo que ele venha a ser posteriormente contrariado, dá - se voz. Agora, não sei se essa voz é reflexo do que conduz, ou dos que são conduzidos. Curiosamente, os que escutam tem se sentido " apascentados".