Quem sou eu

Minha foto
Graduado em Artes Cênicas, Teologia e Ciências Sociais. Mestre em Sociologia e Direito pela UFF e Doutor em Sociologia pelo IESP-UERJ. Pesquisador de Relações Raciais no Brasil, Sociologia da Religião e Teoria Sociológica. Professor de Sociologia, Filosofia e Ética do Instituto Federal do Espírito Santo - IFES.

sábado, 25 de setembro de 2010

"A infelicidade do voto de cabresto evangélico"

Eu era ainda um pré-adolescente quando pela primeira vez na vida ouvi falar de política no púlpito de uma igreja evangélica. A mim, que ainda não votava, isso nem deveria ter atingido tanto, mas confesso que o estado de medo pregado por aquele pastor me fez pensar que tudo aquilo era verdade.
Pelas palavras do missionário estadunidense que pastoreava nossa comunidade, se o candidato socialista ganhasse a eleição, vencendo Fernando Collor, nossas igrejas seriam fechadas, os cristãos seriam perseguidos e não haveria mais a liberdade de adorarmos ao nosso Senhor neste país. Aquilo me meteu medo e me fez odiar o tal homem barbudo que tinha um apelido demasiado curioso: Lula.
Mas aconteceu de o sujeito de barba ganhar eleições, depois de perder três vezes, sendo que as igrejas não foram fechadas, os cristãos não sofreram perseguição do Estado e ninguém impediu nossos cultos.
Com o tempo cresci, aprendi muitas coisas, me tornei cientista político e votei várias vezes, vendo aquele discurso, que não poderia ser chamado de outra coisa a não ser "terrorismo eleitoral religioso", desaparecer por uns anos. Pelo menos até a fala da "namoradinha do Brasil", a atriz Regina Duarte, que apareceu numa propaganda eleitoral se dizendo "com medo da eleição do Lula". Mas era parte de uma classe artística de direita e não algo de cunho religioso. Não me atingiu tanto, pois.
A religião viria a se mostrar bastante forte tempos depois, com uma eleição para o Senado Federal. Numa que já parecia peleja ganha, a candidata Jandira Feghali, do PC do B, perdeu uma eleição na véspera - tinha a vitória garantida por pesquisas até dois dias antes do pleito - para Francisco Dornelles, do PP, que utilizou-se de um fato social importantíssimo - a religião - para fazer o mesmo terrorismo que meu pastor fizera anos antes. Se Jandira fosse eleita, dizia um comunicado que Dornelles pagou para ser distribuído pelas igrejas do interior do Estado do Rio de Janeiro, o aborto seria liberado, teríamos uma "pouca vergonha com casamentos gays" e a liberdade de fé seria cerceada. Aquela eleição, já tida como ganha, se tornou uma derrota histórica para a candidata do PC do B. Sim, a religião se provava detentora de uma força descomunal.
As eleições que se aproximam também têm conseguido se valer do fator religião. Um pastor evangélico, se dizendo "defensor da moral e dos bons valores cristãos", decidiu espalhar um vídeo onde diz que o voto no PT será um voto pela liberação do aborto, pela união civil de homossexuais e pela provocação da ira de Deus, que visitaria nosso país com grande furor divino, pois ficaria irritado com a iniquidade do povo. O vídeo fez e faz sucesso e não são poucos os apoiadores de tal mensagem, pessoas que fazem de tudo para que aquele comunicado chegue "a todos os evangélicos e pessoas de bem do país". Mas a empreitada parece repetir as mentiras do passado.
É importantíssimo dizer que a questão versa sobre o Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH3), que, para muito além de assuntos como as discussões acerca do aborto e união civil de homossexuais, é uma empreitada pela instauração de direitos humanos de toda natureza.
Importante também lembrar que a luta dos homossexuais pela união civil de pessoas do mesmo sexo não é algo partidário, mas uma busca de um movimento social como qualquer outro. Incomoda alguns mais conservadores e isso já era de se esperar, todavia, essa luta, pelo que vemos e entendemos de movimentos sociais, não deixará de existir se um ou outro partido tomar o poder. Se qualquer um de nós perguntar aos homossexuais se eles deixariam de lutar por esse objetivo a depender do partido que venha a vencer as eleições, a resposta será um categórico NÃO. Portanto, falar que um partido no governo seria algo a fomentar isso, não é verdade, pois o pleito de homossexuais estará em pauta de luta ganhe o partido que ganhar.
Do mesmo modo, a luta das mulheres, sobretudo as do movimento feminista, pelo direito ao aborto não será deixada de lado por causa deste ou daquele partido vencedor da eleição.
Outra questão curiosa é o fato de que a ira de Deus - que foi "profetizada" para o caso de o país se deixar levar por uma eleição num partido como o PT - não se acendeu sobre a nação por conta de um grupo de pastores, participantes do mensalão do DEM, em Brasília, que, após ganharem propina por seus serviços ao governador Arruda, oraram para agradecer a Deus pelo crime! Interessantíssimo lembrar que nenhum dos pastores que agora fazem "terrorismo eleitoral religioso" lembrou de falar de "iniquidade" ou "ira divina" naquela ocasião. Seria porque eram pastores roubando e isso poderia ser por Deus desculpado? Claro que não. As razões parecem ser outras e bem mais profundas.
A verdade nua e crua é que os pastores que propagam esse alarde nada mais fazem do que impedir um processo democrático, obrigando suas ovelhas a votarem num candidato, e fazendo valer o que a história do país apresenta como "voto de cabresto". Votos que saem de verdadeiros "currais eleitorais" em que acabaram, infelizmente, por se tornar as nossas igrejas ditas protestantes.
Não, nossas igrejas em sua maioria não são protestantes; são evangélicas e só. Mas ser evangélico hoje em dia não significa muita coisa. Qualquer elemento mal intencionado vende discos aos borbotões - e com músicas de péssima qualidade, diga-se - com o rótulo bastante vendável de "evangélico". Por conta disso, envergonhado de me dizer evangélico, passei a optar pela nomenclatura protestante.
Infelizmente, nossas igrejas estão abarrotadas de gente facilmente manipulável. Todas ávidas por votar sem qualquer liberdade, desde que seja no "candidato do pastor". Infelizmente, também, nossa liberdade protestante foi cerceada por evangélicos que retornaram às práticas medievais, nada mais fazendo do que adoecer o povo com alienações de toda natureza. Mas protestantismo não é isso, sabemos. Ou, pelo menos, deveríamos saber e ensinar.
Ser protestante e bom pastor de fato, profetizando a verdade e a justiça divinas, é ensinar ao povo sobre as razões que fizeram o Eike Batista nascer bilionário (pesquisem a história do pai dele, Eliezer Batista, presidente da Vale do Rio Doce quando esta ainda era uma empresa estatal), é fazer o povo entender a razão de o banqueiro Daniel Dantas não ser preso jamais, é contar a história de escravismo nas fazendas de Francisco Mendes, irmão do ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, ensinando ao povo sobre as razões que levam o mesmo Mendes a votar contra a Lei da Ficha Limpa. Fora disso, não há justiça; não há profecia. Há alienação e mentira travestidas de verdade revelada, mas que se mostram falácias as mais grosseiras.
Oxalá Deus nos escute a oração, dando ao nosso povo pastores segundo o Seu coração e fazendo com que nossa gente queira ser vocacionada àquilo para o que Ele mesmo nos chamou; a verdadeira liberdade.

liberdade, beleza e Graça...

11 comentários:

(Leo P.) disse...

!!!!! sempre leio seus textos, mas nunca comentei aqui... mas ñ posso deixar meu gigante elogio a este. E dizer que este texto conscientiza o povo (protestante) politicamente e ñ videos de terrorismo evangélico barato....
(ñ é comentário de bucha ñ, mas esse texto que tinha que fazer sucesso na rede e ñ os badalados videos)

Elis disse...

Amigo,
Muito corajoso de sua parte! Mais quero compartilhar contigo que não é somente no meio 'evangélico' que circula esse tipo de informação alerta sobre o PT, pois também recebi um e-mail que veio de uma lista espírita que dizia exatamente a mesma mensagem!
Independentes de relegião, temos que votar coerentemente e conscientemente, analisando as propostas conjuntamente com que realmente acreditamos.
Parabéns pelo texto, pela coragem e pela sacada, um pouco antes das eleições.
Um beijão.

blog do jc disse...

Caro amigo Cleiton, dificilmente eu discordo de você, pois acho suas ideias e seus comentários pontuais, e concordo que existe muito voto de cabresto nos "crentes" e também entre os outros segmentos em nossa sociedade.

Acho que o governo do lula foi fenomenal para historia deste país, porem existem bandeiras que claramente ele defende vai ao contrario das minhas posições morais. PL122 e PNDH´s da vida são posição clara do PT.

Logico que existe na base do governo gente contraria a esses posicionamentos, como o senador Magno Malta, o senador Crivella. Esse ultimo candidato que e massacrado exatamente por ser neopentecostal.

Em resumo o que tento dizer nessa minha breve escrita a dizer é que os protestantes devem ter uma postura eleitoral mais participativa e não somente se massa de manobra. Porem devemos pressionar a candidata que faz parte de um partido que nitidamente é contrario as posições morais nossa. Com o nossos votos a sermos ouvido. Coisa que essa chapa não faz muito bem.

Saúde e paz querido irmão.

Obs1: não falo do panettonegate, pois é deprimente.
Obs2:quando digo essas coisas sou contrario que apoie o serra
Obs3:hoje para uma segurança eu votaria na marina, mesmo o pv tendo uma ala mais liberal, porem democraticamente através de plebiscito ela propõem resolver esses dilemas.

Sandra Silva disse...

O homem quando ser hierarquicamente subjugado sempre teve como força motriz o MEDO. Esse o mecanismo psicológico que fomenta a continuidade dessa condição deplorável de subserviência; assim, sob a égide do medo ele não questiona. Talvez, devêssemos dizer que ele pode até mesmo, sob uma névoa de estranhamento, questionar ,mas... silencia. O medo o cala.
Ora, qual ambiência se configura mais propícia pra que os “mensageiros do poder divino” exerçam suas práticas coercitivas, senão aquele em que se estabelece - de forma LEGAL – o princípio do “eu falo, você obedece (cegamente, obedece!), pois eu sei o que falo,e, quando falo... falo para o seu único bem, uma vez que sou enviado do Supremo.” ? Não foi (e, ainda É!) assim com todos os líderes religiosos e seus discípulos?
O desdobramento dessa relação cerceadora, portanto, paranóica é perceptível através do viés que tramita as diversas áreas, nas quais esse indivíduo - incapaz de enxergar com seus próprios olhos e desenvolver uma análise crítica sobre seu entorno sócio-cultural - se insere: afetiva (conjugal, prin-ci-pal-men-te!!!), profissional, política , enfim...
Um rebanho que se traz às rédeas curtas e estreitadas, afligindo-o com o conceitual “raso” entre S.......R , que se traduz de forma cruel e contundente através de, ensinamentos escatológicos, aceitará piamente orientação no exercício de sua cidadania. Afinal, quem quer ser cúmplice na escolha de uma besta apocalíptica ou do próprio anticristo? Vai que o sujeito é brasileiro, sobretudo, carioca? Melhor não arriscar! Até porque, se Deus é brasileiro o Armagedon será aqui, e, aí, meu filho, melhor terá sido ter votado no Crivela e no Malafaia, ter assegurado o cascalho pro barraco escriturado na terra e o “saco de ouro e pedrinhas de cristal” no lar celestial. Ô, glória!!!
Bem, ironias à parte, se nao há PANACÉIA curatica pra falta de virtude cívica...um dia, quem sabe, a PAIDEA não consiga?! Vá saber... ARETÊ (em sua melhor compreensão, claro!) manda lembranças!!!
Beijo e boa semana pra todos nós

Sandra Silva disse...

POR TRINTA VOTOS...O NADA

Olha-nos numa perspectiva única.
Dimensiona à proporção do seu eu
Quantos de nós abocanhará em quinhão.
Sor-ra-tei-ra-men-te espreita-nos de “cabo a rabo”
Até que a hora do bote se configura em linguagem,
E, então, abre-se a boca da fera a proferir o seu mal.
Mas , quão estupendo discurso!
Quanta eloqüência em um só!
Reverbera a fera a necessidade do teto,
Do pão, da letra e, até mesmo!, do rir e do rim.
Seus olhos liberam vendas e brilhos,
Sua boca emana cantos de sereia.
Enigmaticamente a distância entre a causa e o efeito
Desfaz o direito de ir e vir sobre o chão.
Mas, ninguém quer mais o passo na estrada;
Antes, o colo paternal e protetor
Que leva sem qualquer perigo aparente,
Prometendo a doce bala durante todo passeio.

Eis que o tempo do espetáculo chegou!
Silêncio para escutarmos o ator!

“Ó, quão miseráveis são teus filhos, Brasil!
Quão órfãos são tuas crianças, Ó, Mãe Gentil!,
Como teus velhos enrugados são curvos de anos,
E como em todos esses teus anos,
Aos teus filhos, somente, enganos!
Mas, o tempo da tortura acabou!
Não mais a fome, o frio, a dor!

Vivo!!!
Existo na missão de um guerreiro,
E meu brado insurge na canção por justiça!
Jamais filho teu filho fará fila por cura,
Nunca mais tuas filhas terão pelo gozo o pão.

Vivo!!!
Existo na predestinação do herói,
E minha lança ressurge nas cinzas brasas, no chão.
Jamais filho teu será morto em esquina,
Nunca mais tuas filhas trocarão seus filhos por grão.

Vivo!
Existo na compaixão de um deus,
E meu coração se enternece na oração do amor.
Jamais filho teu será calado na luta,
Nunca mais tuas filhas terão por filho o cão.

Vivo!
E, predestinado fui a guerrear tuas lutas,
A matar teu algoz!
Vivo pra salvar o Brasil!”

Silêncio! Estupefação! Delírio!
O povo, em êxtase, já se contorce em multidão.
Nunca dantes tamanha promessa lhe fora feita, assim.
“De onde virá ser tão magnânimo?!” Indagam.
Nasceu para liderar quem fiel lhe for no... trato.
“Magnífico! Estupendo!” Deliram!
Não há ceticismo que os remeta a qualquer roto passado,
E qualquer futuro já visto vira orvalho já derramado.
“Santas mãos! Puros lábios!” Elegem!
Quem diria... A salvação chegou para o Brasil!
“O cimento de nossas casas garantido!” Se iludem!
(quem há de reclamar tanto buraco?)
“Os livros de nossos filhos recicláveis!” Se enganam!
(quem há de reclamar a faculdade?)
“O fubá pro angu da ‘bolsa’ é prato.” Se entorpecem!
(quem há de requerer qualquer trabalho?)

Santas mãos! Puros lábios!
É deus “baixando”, em Brasília, encarnado!

Sandra Silva/10

Pr. Diego Sobrinho Dias disse...

Meu amigo eu acompanho o seu blog faz tempo, vc escreve com maestria e te admiro pela pessoa que é. Gostei tanto do texto que vou copiar e colocá-lo no meu blog se me permite é claro... Abraços cara

Jonathan disse...

Algumas coisas que vc diz tem razão, mas será que nós msm não temos consiencia de que todas aquelas leis propóstas, nunca agradou a Deus?
Em cada lei daquela é um pecado.
Mesmo Deus não derramando ira sobre o Brasil, Deus não tá nem um pouco alegre com isso.
Somos ou não um povo consiente?
Será q devemos votar nessas pessoas por birrinha com igreja?
Antes de qualquer coisa, qualquer decisão de vcs, orem a Deus, pedindo discernimento e sabedoria, e leia a palavra de Deus com humildade.

Liana disse...

"Infelizmente, nossas igrejas estão abarrotadas de gente facilmente manipulável." Concordo. Podem todos esses vídeos e mensagens serem divulgados com intenções manipuladoras e de interesses próprios, mas confesso que o desespero de querer agradar a Deus a todo instante, às vezes nos cega, às vezes nos silencia, nos faz temer, nos manipula... Realmente, temos uma postura mais medieval de "dominados" do que a protestante de "revolucionários", mas o que me deixa mais triste é ver a sinceridade daqueles que tentam mudar seguindo ditas orientações de pessoas ditas orientadas que, talvez, levem seus orientandos à mais profunda ignorância.
Sinto como se fôssemos ovelhas que não tem pastor e isso nos faz acabar com nossas vidas... (lembrei de Durkheim, do suicídio egoísta, na falta de integração da sociedade religiosa). Choro só de pensar...

Cleinton Gael disse...

Querida Liana,
Minha grande alegria é ver meus alunos e alunas pensando criticamente e usando o que tenho ensinado com a alma nos seus escritos,como você fez agora, com uma contribuição de Durkheim. Digo de coração sincero e verdadeiro que MINHA VIDA VALE A PENA SÓ POR ISSO. beijo carinhoso do professor e amigo.

liberdade, beleza e Graça...

Anônimo disse...

Perfeito, cara. Falou tudo e mais um pouco. Votei consciente, sem hipocrisia. Deixando o sensacionalismo de lado e jogando ao muro qualquer tipo de lorota inventada pela mídia. E irei repetir a dose no 2º turno.

Abraços, Higor.

Leonardo Abreu disse...

Rapaz... Vamos marcar pra bater um papo!
Abs.